Associação entre injúrias não intencionais e realização de estratégias de prevenção em crianças

Francielle Tolfo, Carla Miranda, Keila Cristina Rausch Pereira, Débora Martini Dalpian, Dirce Stein Backes, Mabel Mariela Rodriguez Cordeiro, Suely Grosseman, Bianca Zimmermann dos Santos

Resumo


A infância é um período vulnerável para a ocorrência de injúrias não intencionais; entretanto, é possível preveni-las. Este estudo objetivou verificar a associação entre a incidência de injúrias em pré-escolares, com a realização de estratégias de prevenção por pais ou responsáveis. Foi desenvolvido estudo longitudinal retrospectivo, com crianças que frequentavam a rede pública de ensino de Florianópolis em 2009. Os dados foram coletados através de um questionário semiestruturado. Foram incluídas 398 crianças, sendo que 275 (69,1%) sofreram injúria(s). Quanto à prevenção, 354 (88,9%) dos responsáveis afirmaram terem sido esclarecidos a respeito e 356 (89,4%) deles realizavam pelo menos algum tipo de estratégia para evitá-las. Houve associação entre a ocorrência de injúrias com: o tipo de cuidador no momento da sua ocorrência (p=0,009) e a realização de estratégias de prevenção pelo responsável (p=0,002). A incidência de injúrias foi alta e esteve associada ao tipo de cuidador e à realização de estratégias de prevenção, demonstrando que intervenções mais precisas e contínuas, voltadas para orientações sobre prevenção aos principais cuidadores, devem ser realizadas.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


OUTRAS PUBLICAÇÕES DA UNIVERSIDADE FRANCISCANA

 

Artes, Letras e ComunicaçãoCiências da SaúdeCiências HumanasCiências Naturais e Tecnológicas

Ciências Sociais AplicadasThaumazeinVidya

 

INDEXADA EM


 

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusiva dos autores.

Todos os custos são cobertos pelo Centro Universitário Franciscano.


Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.