Força de preensão palmar e frequência cardíaca em atletas amadoras de handebol

Deborah Paula Almeida Zaltron, Lilian Oliveira de Oliveira, João Rafael Sauzem Machado, Minéia Weber Blattes, Luiz Fernando Rodrigues Junior, Jaqueline de Fátima Biazus

Resumo


O handebol é definido como um esporte olímpico de alta intensidade, pois exige demandas aeróbicas e de força muscular esquelética. Contém elementos táticos de grande importância, como ações de corrida, arremesso, salto, contato e bloqueio. Essas atividades acarretam frequência cardíaca média de treinamento acima de 80% da frequência cardíaca máxima. A composição corporal também é importante fator que pode influenciar no desempenho do jogador em uma partida, tendo em vista que o tamanho da mão e a força de preensão de cada jogador têm influência direta no controle da bola. No presente estudo, teve-se como objetivo avaliar a força de preensão e a frequência cardíaca de treinamento em atletas amadoras de handebol. Participaram deste estudo 12 atletas com idade média de 19,8 anos. A força de preensão média foi de 5,4 ± 1,2 kgf no MSD e 5,3 ± 0,85 kgf em MSE. A frequência cardíaca em treinamento foi de 79% FCmáx. Concluiu-se que não há diferença estatística em relação à força de preensão entre os membros superiores das atletas e que existe uma homogeneidade da frequência cardíaca das atletas ao longo do treinamento.


Texto completo:

PDF

Referências


DOI: http://doi.org/10.37777/dscs.v21n1-006


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


OUTRAS PUBLICAÇÕES DA UNIVERSIDADE FRANCISCANA

 

Artes, Letras e ComunicaçãoCiências da SaúdeCiências HumanasCiências Naturais e Tecnológicas

Ciências Sociais AplicadasThaumazeinVidya

 

INDEXADA EM


 

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusivados autores.

Todos os custos são cobertos pelo Centro Universitário Franciscano.


Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.