A ÉTICA COMO VIRTUDE CÍVICA EM MAQUIAVEL

Marcos Alexandre Alves

Resumo


Objetiva-se, na presente investigação, analisar como se articula, no interior da obra “O Príncipe” de Maquiavel, a questão referente à moral. Esta tem sido objeto de discussão intensa e por muitos, considerada o ponto central de sua teoria. Algumas análises d’O Príncipe chegam a considerar essa obra como a que foi responsável pela separação entre a moral e a política, ou seja, esses dois princípios não passariam a reger a vida do governante, o qual deveria escolher entre um deles. No entanto, o que se pretende, aqui, não é analisar O Príncipe sob a perspectiva do separador entre política e moral, mas sustentar que Maquiavel n’O Príncipe, não traduziu a separação entre moral e política, mas somente apresentou como correta uma moral diferente daquela que o cristianismo prega; uma moral baseada nos princípios da Antigüidade, do Império Romano. Portanto, intenciona-se, apresentar e defender que Maquiavel não emancipou a política da ética ou da religião. O que fez foi a distinção entre duas modalidades de moral: a judaico-cristã e a pagã. Sob esta perspectiva, não haveria divórcio entre a política e a ética que muitos autores atribuem a Maquiavel. Defender-se-á, em última analise, que Maquiavel como renascentista procura inspirar-se nos modelos greco-romanos e não cristãos.

Referências


AMES, Luiz José. Lei e estado no Pensamento de Niccolò Maquiavelli. IN: PERES, Daniel Omar (org). Ensaios de Ética e Política. Cascavel: Edunioeste. 2002.

ARANHA, Maria Lúcia A. Maquiavel: a lógica da força. São Paulo: Moderna. 1993.

BIGNOTTO, Newton. Maquiavel. Rio de Janeiro: Jorje Zahar. 2003. BARINCOU, Edmond. Maquiavel por ele mesmo. Brasília: Editora Universidade de Brasília. 1991.

CASSIRER, Ernst. O mito do Estado. Rio de Janeiro: Zahar. 1976 CHEVALLIER, Jean-Jacques. As grandes obras políticas: de Maquiavel a nossos dias. 2. ed. Rio de Janeiro: Agir. 1996.

GRAMSCI, Antonio. Maquiavel, a política e o estado moderno. 3. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira. 1987.

GRUPPI, Luciano. Tudo começou com Maquiavel. 3a ed. Porto Alegre: L&PM. 1980.

HEBECHE, Luiz Alberto. A guerra de Maquiavel. Ijuí: UNIJUÍ Ed., 1988. MAQUIAVEL, Nicolau. O Príncipe. Trad. Mônica Banã Álvares. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.

NEDEL, José. Maquiavel: concepção antropológica e ética. Porto Alegre: EDIPUCRS. 1996.

SADEK,Maria Teresa. Nicolau Maquiavel: o cidadão sem fortuna, o intelectual da virtú. In: WEFFORT, Francisco C. (org). Os Clássicos da Política. São Paulo: Ática, v.1, 13a ed, 2004.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


OUTRAS PUBLICAÇÕES DA UNIVERSIDADE FRANCISCANA

 

Artes, Letras e ComunicaçãoCiências da SaúdeCiências HumanasCiências Naturais e Tecnológicas

Ciências Sociais AplicadasThaumazeinVidya

 

INDEXADA EM

 

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusiva dos autores.

Não há custos de publicação e leitura, mas doações são bem vindas.

Todos os custos são cobertos pelo Centro Universitário Franciscano.


Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.