EXPERIMENTOS MENTAIS COMO UMA FORMA DE LUDICIDADE NO ENSINO SUPERIOR

Stéfani Martins Fernandes, Luciane Zamberlan Pasetto, Noemi Boer, Leonardo Guedes Henn

Resumo


Uma das características mais significativas presentes no ser humano é a sua capacidade de imaginação. Assim, ele cria representações que podem ajudá-lo a explicar situações, seja do cotidiano ou não. Por vezes, a imaginação, bem como a capacidade de pensamento, foi deixada de lado dentro dos sistemas de ensino, especialmente no Ensino Superior. Isso reflete nas ações em sala de aula a partir da formação e professores, pois é priorizado a produção, às vezes em larga escala, deixando de lado metodologias que auxiliem o educando a expandir suas capacidades de representações mentais para assuntos além da Academia. Partindo desta reflexão, o presente estudo apresenta os experimentos mentais como uma metodologia para ser utilizada em curso do Ensino Superior. Aprender com quem já “sabe” se torna algo produtivo em todas as dimensões, pois ao mesmo tempo, que o acadêmico está aprendendo ele também acaba ensinando, pois, a troca de conhecimento ocorre nas atividades realizadas em conjunto ou não com o professor regente.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


OUTRAS PUBLICAÇÕES DA UNIVERSIDADE FRANCISCANA

 

Artes, Letras e ComunicaçãoCiências da SaúdeCiências HumanasCiências Naturais e Tecnológicas

Ciências Sociais AplicadasThaumazeinVidya

 

INDEXADA EM

 

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusiva dos autores.

Não há custos de publicação e leitura, mas doações são bem vindas.

Todos os custos são cobertos pelo Centro Universitário Franciscano.


Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.