JUSTIFICAÇÃO POLÍTICA EM JOHN STUART MILL

Everton Miguel Puhl Maciel

Resumo


A justificação do ambiente liberal na filosofia política de John Stuart Mill é necessariamente vinculada a um engendramento democrático do poder. Para demonstrar isso, vamos percorrer os conceitos de liberdade e igualdade, fundamentais para a construção do perfil de democracia que o autor adotou na obra Considerations On Representative Government. É preciso interpretar Mill como um minimalista moral para que as considerações a respeito da sua filosofia política tenham efeito. Essa interpretação nos sugere uma justificação necessariamente pública da moralidade, o que precisa levar em conta o princípio da utilidade como um preceito moral ajuizado nos interesses permanentes da humanidade em progredir. A democracia precisará ser justificada do ponto de vista político para que se mantenha a abrangência adequada e fique preservada a relação da utilidade com a existência das instituições políticas.


Referências


MILL, John Stuart. Utilitarianism / Three Essays on Religion et al. In Collected Works, v.10. Toronto: Toronto University Press; ROBSON, John (Ed.), 1969.

___________. Considerações Sobre o Governo Representativo. Tradução: Manoel Innocêncio de Lacerda Santos Jr. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1981.

___________. Considerations On Representative Government. In Collected Works, v.19. Toronto: Toronto University Press; ROBSON, John (Ed.), 1977.

___________. On Liberty and other writings. Cambridge: Cambridge University Press, 2008.

___________. On Liberty. In Collected Works, v.18. Toronto University Press; ROBSON, John (Ed.), 1977.

___________. The Subjection of Women. In Collected Works, v.21. Toronto: Toronto University Press; ROBSON, John (Ed.), 1984.

CLOR, Harry M. Mill and Millians on Liberty and Moral Character. The Review of Politics. Cambridge: Cambridge University Press, v.47, n.1, jan., 1985, p.3-26.

LEVI, Albert W. The Value of Freedom: Mill’s Liberty (1859-1959). Ethics. Chicago: The University of Chicago Press, v.70, n.1, out., 1959, p.37-46.

MEDEARIS, John. Labor, Democracy, Utility, and Mill’s Critique of Privat Property. American Journal of Political Science. Bloomington: Midwest Political Science Association, v.49, n.1, jan., 2005, p.135-149.

SARVASY, Wendy. J. S. Mill’s Theory of Democracy for a Period of Transition between Capitalism & Socialism. Polity. Basingstoke: Palgrave Macmillan Journals, v.16, n.4, summer, 1984, p.567-587.

SKORUPSKI, John. Introduction: the fortunes of liberal naturalism. In SKORUPSKI, John (org.). The Cambridge Companion to Mill. Cambridge: Cambridge University Press, 1998, pp.1-34.

___________. (org.). The Cambridge Companion to Mill. Cambridge: Cambridge University Press, 1998.

___________. John Stuart Mill. London: Routledge, 1989.

___________. Why Read Mill Today? London: Routledge, 2007.

ZIVI, Karen. Cultivating Character: John Stuart Mill and the Subject of Rights. American Journal of Political Science. Bloomington: Midwest Political Science Association, v.50, n.1, jan., 2006, p.49-61.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


OUTRAS PUBLICAÇÕES DA UNIVERSIDADE FRANCISCANA

 

Artes, Letras e ComunicaçãoCiências da SaúdeCiências HumanasCiências Naturais e Tecnológicas

Ciências Sociais AplicadasThaumazeinVidya

 

INDEXADA EM

 

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusiva dos autores.

Não há custos de publicação e leitura, mas doações são bem vindas.

Todos os custos são cobertos pelo Centro Universitário Franciscano.


Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.