A RELEVÂNCIA DAS EMOÇÕES PARA A MORALIDADE

Cristina de Moraes Nunes

Resumo


O presente trabalho tem como objetivo mostrar que as emoções desempenham um papel fundamental para a moralidade, principalmente no que se refere à atribuição de responsabilidade moral aos agentes. Para isso, utilizar-se-á da teoria reativa de Peter Strawson, apresentada no seu famoso ensaio Freedom and Resentment (1974), no qual ele afirma que o modo como tradicionalmente os autores têm tratado do problema da responsabilidade moral têm deixado de lado o amplo sistema de atitudes reativas ou sentimentos morais que dirigem todo o nosso relacionamento com as outras pessoas. Desse modo, a fundamentação para a avaliação moral está nas relações interpessoais, na maneira como nos relacionamos com as demais pessoas numa determinada comunidade moral. Em outras palavras, a concepção que temos de certo e errado moralmente, deve-se as reações que temos frente às situações, que fazem com que reprovamos ou aprovamos uma ação como sendo boa ou má. Assim, pretende-se assumir que não é possível ignorar o papel que as emoções desempenham na compreensão que temos da moralidade.

Referências


BENNETT, J. Accountability (II). In: MCKENNA, M.; RUSSELL, P. Free Will and Reactive attitudes: Perspectives on P. F. Strawson‟s “Freedom and Resentment”. USA: Ashgate, 2008.

FISCHER, J., M.; RAVIZZA, M. Responsibility and Control. New York: Cambridge University Press, 1998.

HUME, D. Tratado da natureza humana: uma tentativa de introduzir o método experimental nos assuntos morais. Tradução de Déborah Danowski. São Paulo: Ed. UNESP, 2001.

MCKENNA, M.; RUSSELL, P. Free Will and Reactive attitudes: Perspectives on P. F. Strawson’s “Freedom and Resentment”. USA: Ashgate, 2008.

RODRGUÉZ, A. R. P. F. Strawson y D. Hume- una comparación a propósito de “Moralidad Social e Ideal Individual”. In: Ethic@, Florianópolis, v.1, n.2, Dez. 2002, p. 133-154.

RUSSELL, P. Freedom & Moral Sentiment: Hume’s Way of Naturalizing Responsibility. New York: Oxford, 1995.

SMITH, A. The Theory of Moral Sentiments. Oxford: Oxford University Press, 1976.

STOCKER, M.; HEGEMAN, E. O Valor das Emoções. Traduzido por Cecília Prada. São Paulo: Palas Athena, 2002.

STRAWSON, P. F. Análise e Metafísica: uma introdução à filosofia. Tradução de Armando Mora de Oliveira. São Paulo: Discurso Editorial, 2002.

________. Analysis and Metaphysics: an introduction to philosophy. London: Oxford University Press, 1992.

________. Ceticismo e Naturalismo: algumas variedades. Tradução de Jaimir Conte. São Leopoldo: Ed. Unisinos, 2008.

________. Freedom and Resentment. Londres: Methuen & CO LTD, 1974.

________. Individuals, An Essay in Descriptive Metaphysics. University Paperback. 1959.

________. “Reply to David Pears”. In: HAHN, L.E. (Ed.) The Philosophy of P.F. Strawson. USA: Open Court, 1998, p.259-262.

________. Social Morality and Individual Ideal. In: Freedom and Resentment. Londres: Methuen & CO LTD, 1974, p. 26-44.

________. Skepticism and Naturalism: Some Varieties. New York: Columbia University Press, 1985.

STURGEON, N.L. “Ethical Naturalism”. In: COPP, D. The Oxford Handbook of Ethical Theory. Oxford: University Press, 2006, p. 91-121.

THORNTON, J. C. “Determinism and Moral Reactive Attitudes”. In: Ethics, v. 79, n. 4, 1969, p. 283-297.

WALLACE, J. Responsibility and the Moral Sentiments. London: Harvard University Press: 1994.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


OUTRAS PUBLICAÇÕES DA UNIVERSIDADE FRANCISCANA

 

Artes, Letras e ComunicaçãoCiências da SaúdeCiências HumanasCiências Naturais e Tecnológicas

Ciências Sociais AplicadasThaumazeinVidya

 

INDEXADA EM

 

Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusiva dos autores.

Não há custos de publicação e leitura, mas doações são bem vindas.

Todos os custos são cobertos pelo Centro Universitário Franciscano.


Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.